Local: GMT:
Email Palavra-passe  
Esqueceu-se da sua palavra-passe? Novo utilizador? Clique aqui para efectuar o seu registo.

MEDIAÇÃO FAMILIAR

Consulta disponível por submissão de questões e/ ou consulta por Skype. 

O divórcio ou a separação conjugal são acontecimentos de vida considerados como factores de stress muito importantes na vida das pessoas, por serem dolorosos e emocionalmente desgastantes para os intervenientes no processo (marido, mulher e filhos) independente de quem tenha tomado a iniciativa.

Neste processo emergem diversas emoções e sentimentos que estão associados à agressividade, insegurança, culpa, desilusão e sentimento de abandono, entre outros. Estas reacções emocionais podem-se manter, acentuar e/ou permanecer de acordo com a forma como os intervenientes decidirem resolver a questão: de uma forma não conflituosa, mais conciliadora ou via litigiosa alimentando o conflito.
 

A Mediação Familiar surge neste contexto como uma alternativa ao tribunal,  evitando a exposição pública dos conflitos e visando a realização de um acordo quanto ao exercício da responsabilidade parental, da contribuição financeira para os filhos menores, da partilha de bens, que posteriormente será homologado judicialmente. 
 

A Mediação Familiar permite:

- Reduzir os custos económicos, afectivos e psicológicos da separação/divórcio a todos os membros da família;

- Facilitar e promover a comunicação entre os pais, estimulando a sua capacidade de negociação e cooperação;

- Contribuir para a construção de um Acordo Final equilibrado para todos os membros e duradouro, assegurando a manutenção das relações entre pais e filhos.
 

O mediador familiar assume-se, ao longo de todo o processo, como um elemento neutro, imparcial garantindo a confidencialidade de todo o processo.   Tem como função promover a comunicação entre os elementos do casal que estão auto-determinados a chegarem a um acordo satisfatório para a família.
 

A Mediação Familiar realiza-se em várias sessões onde estão presentes os membros do casal em separação e o mediador. Nas sessões iniciais redige-se um Termo de Consentimento de Mediação Familiar em que os intervenientes se comprometem a observar determinadas regras subjacentes ao processo.
 

O número de sessões a realizar depende de cada caso, normalmente as questões familiares não são resolvidas numa sessão única. É necessário que os acordos a que se chega não sejam precipitados e mal resolvidos, o que conduz posteriormente à sua revisão em tribunal. Este Acordo Final é posteriormente homologado judicialmente.
Nos casos em que decorrem processos judiciais é solicitado que estes sejam suspensos. 
 

Nas situações em que existam violência doméstica e maus tratos estas questões podem ser abordadas sendo posteriormente encaminhados para serviços especializados.
 

Vantagens da Mediação Familiar:
 

- Diminuição dos custos financeiros e emocionais;

- Menor burocracia processual em comparação com os procedimentos tradicionais;

- Uso de espaço em ambiente privado e acolhedor com apoio de um técnico cuja função é ajudar os intervenientes a estabelecer uma matriz de comunicação facilitadora na resolução de conflitos, de crises e estabelecer acordos aceitáveis;

- Preservar a dignidade e auto-estima da família em transformação, ajudando-a a estabelecer novos equilíbrios. 

Nesta consulta poderemos dar informações genéricas acerca do processo de mediação familiar e encaminhar para consulta presencial, para dar início ao processo, que decorrerá nas nossas instalções.

 

 
Voltar »